Festa de Santo Antônio 2013 conta com reconhecimento em Lei Estadual e lançamento de livro e exposição

  • Publicado em: Barbalha
  • Data: 01.06.2013

Tradicional Festa de Santo Antônio em Barbalha conta com dois importantes diferenciais este ano: trata-se da primeira edição do evento após o reconhecimento de Barbalha, por Lei Estadual, como capital dos festejos de Santo Antônio. Durante o evento será lançado o livro “Sentidos de Devoção: Festa e Carregamento em Barbalha” e será aberta a exposição museográfica permanente “Pau de Santo, Festa de Fé”, ambos coordenados pelo Iphan

Uma festa popular de tradição secular, que atrai 500 mil pessoas e é atração nacional para “encalhados” e “esperançosas” que sonham em se casar. Mas também para turistas de diversos estados brasileiros, amantes da cultura popular tradicional nordestina e de várias linguagens e expressões artísticas. Assim é a Festa de Santo Antônio de Barbalha, município cearense distante 610 km de Fortaleza. As festividades começam neste sábado, 1/6, com a Noite das Solteironas.

A maior festa de padroeiro do Brasil é agora também reconhecida por lei estadual, que deu a Barbalha o título de capital cearense dos festejos a Santo Antônio. É a lei estadual 96/2012, de autoria da deputada Fernanda Pessoa, aprovada na Assembleia Legislativa e sancionada pelo governador Cid Gomes.

Em consequência, o tema da festa este ano é “Viva! Barbalha agora é a Capital”, conforme destaca o secretário de Cultura e Turismo da cidade, Antônio de Luna. “Esse reconhecimento de Barbalha como capital cearenses dos festejos de Santo Antônio, por lei estadual, deixa a cidade muito honrada, e é um dos grandes diferenciais da festa este ano, aumentando ainda mais a visibilidade do evento”, afirma o secretário.

Exposição museográfica

Outras novidades são a abertura da Exposição Museográfica permanente sobre a Festa de Santo Antônio, fruto de parceria entre a Prefeitura de Barbalha e o Iphan – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, autarquia do Ministério da Cultura responsável pela preservação do patrimônio cultural brasileiro. A exposição“Pau de Santo, Festa de Fé” será aberta ao público no dia 12 de junho, no Casarão que sedia a Secretaria de Cultura de Barbalha, e ocupará permanentemente o espaço.

A exposição foi produzida a partir dos resultados do Inventário Nacional de Referências Culturais da Festa de Santo Antônio de Barbalha, pesquisa que compõe a instrução de Registro da Festa como Patrimônio Cultural Brasileiro. Desde 1928, Barbalha abre os

festejos em torno de Santo Antônio de Pádua com a celebração do Carregamento do Pau da Bandeira. A celebração tem início ao alvorecer, após a missa na Igreja Matriz de Barbalha em homenagem ao padroeiro da cidade, e é comandada pelo “Capitão do Pau”.
A exposição retrata como as celebrações de Corte, Carregamento e Hasteamento do Pau da Bandeira foram se tornando centrais no calendário de Barbalha, ao mesmo tempo em que passaram a funcionar como elemento identificatório de seus moradores. E como as insinuações em torno do poder milagreiro do mastro da bandeira dão toda uma conotação sensual e brincalhona à Festa de Santo Antônio de Barbalha.

Livro “Sentidos de Devoção”

Também no dia 12 de junho, será lançado o livro “Sentidos de Devoção – Festa e Carregamento em Barbalha”, igualmente resultado de trabalho realizado pela equipe do Iphan e um marco importante no registro documental e acadêmico da festa. A publicação tem como organizadores Igor de Menezes Soares e Ítala Byanca Morais da Silva, historiadores que integram a Superintendência do Iphan no Ceará, e reúne artigos de diversos autores, abordando variadas facetas da festa e de suas múltiplas


Igor de Menezes Soares
 (Organizador), Historiador da Superintendência do Iphan no Ceará e mestrando do Programa de Pós-graduação em História Social da Universidade Federal do Ceará – UFC; Ítala Byanca Morais da Silva (Organizador), Historiadora da Superintendência do Iphan no Ceará e mestre em História Social pelo  Programa de Pós-graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ.leituras.
São reflexões tecidas sobre a Festa de Santo Antônio em campos variados, como História, Geografia, Antropologia, Pedagogia, Cinema e Turismo, evidenciando a natureza interdisciplinar da instrução dos processos de reconhecimento das práticas culturais como Patrimônio Cultural Brasileiro. O Iphan ressalta que existem poucos trabalhos acadêmicos defendidos e publicados sobre a Festa e que, dessa forma, a publicação pretende provocar o preenchimento de uma lacuna editorial e também servir de leitura inicial, estimulando novas pesquisas sobre a celebração.
A seleção de autores e imagens foi fruto das pesquisas desenvolvidas no âmbito do Inventário Nacional de Referências Culturais (INRC) da celebração, que compõe o dossiê de registro da Festa como Patrimônio Cultural Brasileiro. Atualmente, o Iphan-CE possui um acervo de mais de 3 mil registros da festa, como entrevistas, fotografias, matérias em periódicos, além do próprio INRC.
Organizadores:

Autores:

Antônio Igor Dantas Cardoso, mestrando do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Ceará – UFC; José Clerton de Oliveira Martins, Professor do Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade de Fortaleza – UNIFOR; José Edvar Costa de Araújo, Professor do Departamento de Pedagogia da Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA; Josier Ferreira da Silva, Professor do Departamento de Geografia da Universidade Regional do Cariri – URCA e do Programa de Pós-graduação em Geografia da Universidade Estadual do Ceará – UECE; Jucieldo Ferreira Alexandre, Professor do Departamento de História da Universidade Regional do Cariri – URCA e pesquisador do INRC da Festa de Santo Antônio de Barbalha.


Assessoria de Imprensa – DALWTON MOURA
Océlio Teixeira de Souza, Professor do Departamento de História da Universidade Regional do Cariri – URCA e Coordenador do Projeto Cariri; Renata Marinho Paz, Professora do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Regional do Cariri – URCA e Coordenadora do INRC da Festa de Santo Antônio de Barbalha;Rosemberg Cariry, Filósofo e cineasta; Sandra Nancy Ramos Freire Bezerra, Professora do Departamento de História da Universidade Regional do Cariri – URCA e pesquisadora do INRC da Festa de Santo Antônio de Barbalha; Simone Pereira da Silva, Mestre em História pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal da Paraíba – UFPB e pesquisadora do INRC da Festa de Santo Antônio de Barbalha

Comentários